5 de jan de 2011

Mulher - Por Jean Pablo

'O texto abaixo foi escrito pelo meu querido amigo Jean. Amigo esse que fiz na época do ensino medio em Floripa. Finalmente um texto que descreve o que nós mulheres somos e queremos. Espero que gostem.'

Qual o elogio que uma mulher adora receber? Bom, se você está com tempo, pode-se listar aqui uns trocentos: mulher adora que verbalizem seus atributos, sejam eles físicos ou morais. Diga que ela é uma mulher inteligente e pode ser que ela irá com a sua cara. Diga que ela tem um ótimo caráter e um corpo que é uma provocação, e pode ser que ela decore o teu número. Fale do seu olhar, da sua pele, do seu sorriso, da sua impetuosidade, da sua aura de mistério, de como ela tem classe. Pode ser que ela ache você muito observador e te dê uma chance. Pode ser. Não pense que já ganhou: manter o cargo vai depender da sua perspicácia pra encontrar novas qualidades nessa mulher poderosa, absoluta. Diga que ela cozinha melhor que a sua mãe, que ela tem uma voz que faz você pensar loucuras, que ela é a razão de você acordar feliz de manhã. Fale sobre sua competência, seu senso de oportunidade, seu bom gosto pra musica e pra se vestir. Só não vai achar que agrada chamando ela de boazinha. Aí é que a casa cai. Descrevo uma mulher boazinha: Voz fina, roupas pastel, calçados rente ao chão (não generalizo, gosto de mulher de tênis *-*). Aceita encomendas de doces, contribui para a igreja, cuida dos sobrinhos nos finais de semana. Disponível, serena, previsível, nunca foi vista negando um favor. Nunca teve um chilique, piripaque, treco, TPM. Nunca colocou os pés num show de rock. É queridinha, pequeninha, educadinha. Enfim, uma mulher boazinha. Cara, elas foram boazinhas por séculos. Ouviam tudo e fingiam não ver nada. Viviam num mundinho, rodeadas de panelinhas e nenezinhos. A vida feminina era essa tosquera: bordados, paredes brancas, crucifixo em cima da cama, tudo certinho. Passaram um tempão assim, comportadinhas, enquanto iam alimentando um desejo incontrolável de chutar o balde. Quietas, mas inquietas. Até que chegou o dia em que deixaram de ser as coitadinhas. Agora são presidentes, atrizes, estrelas, profissionais. Ser boazinha não tem nada a ver com ser generosa. Ser boa é bom (muito bom), ser boazinha é péssimo. As boazinhas não têm defeitos (nem namorado). Não têm atitude. Se Conformam com a coadjuvância. Chamar de boazinha, mesmo com a melhor das intenções, é o pior dos desaforos. Mulheres bacanas, complicadas, batalhadoras, persistentes, ciumentas, apressadas, é isso que são hoje. Merecem adjetivos velozes, produtivos, enigmáticos. Nada no diminutivo, quem gosta de diminutivos, definha. São tudo uns mulherão, cheias de atitude. Diante delas, o homem normal tem medo. Elas são areia demais para qualquer caminhãozinho. Onde estão os falecidos Don Juan? Cadê o charme "jamesbondiano" dos homens? Não há mais o grande conquistador. Medrosos. Acuados. Sim, elas sabem que a vida real não combina com cenas hollywoodianas. Sabem que há apenas meia dúzia de castelos no mundo, quase todos abertos à visitação de turistas. Sabem que os príncipes, hoje, andam com as calças/bermudas caindo, alguns usam franja, outros cultivam uma barriguinha de chope, não são heróicos nem usam capa e espada, mas ao menos são de carne e osso, e a maioria tentaria um resgate em um prédio em chamas, caso a escada alcançasse o andar (é claro). Não é nada, não é nada, mas já é alguma coisa. Dificilmente nós homens conseguimos corresponder à expectativa de uma mulher. Alguns mandam flores, reservam quarto em hotéizinhos secretos, surpreendem com presentes, passagens aéreas, convites inusitados. Somos inteligentes, charmosos (cof, cof), ousados, corajosos (alguns), batalhadores. Disputamos o amor delas como se estivessemos numa guerra, e pra quê? Tudo o que recebemos em troca é uma mulher que não para de olhar pela janela ou pro relógio, insatisfeita com algo que nem ela sabe o que é. Mas vivemos sem? Eu falo por mim que não. Nem um segundo. Tô puxando saco? Pagando pau? Blá, blá, blá? Só estou sendo sincero. Mulher faz bem pra vista, tanto faz se ela é machista ou feminista. Podem até achar que é um pouco de exagero. Eu gosto é de mulher.
crédito do texto: Jean (http://jeanvellozo.blogspot.com/)

Um comentário:

  1. Muuuuuito bom *-*

    hahahahaha :D

    Obrigado por creditar amiga. Teu blog é muito bom.

    E parabéns por ser mulher! Te admiro por muitas coisas, e por isso acima de tudo.

    Beijo.

    ResponderExcluir